É difícil, praticamente impossível, surgir um grande poeta ou um grande artista de qualquer área da minha geração

É difícil, praticamente impossível, surgir um grande poeta ou um grande artista de qualquer área da minha geração. Sempre foi difícil, em qualquer época, mas hoje é três vezes mais. Por três motivos muito simples: 1) Porque na nossa sociedade ninguém tem mais tempo de nada, ninguém mais tem tempo de ler livros e de se formar sozinho para descobrir os inovadores, os transformadores e 2) quando tem tempo, um mísero tempo, gasta com procrastinação virtual ou 3) não tem qualquer estímulo nem incentivo do contexto político, social, econômico, etc. que permita que isso aconteça. Essa é a nossa regra do século XXI e as exceções a confirmam. Então, mesmo os talentosos não desenvolvem o talento ao máximo através de disciplina que possa fazer com que eles vejam mais longe sobre ombros de gigantes, como escrevia Newton. E os esforçados se vêem completamente castrados, numa situação pior do que a censura, pois é uma situação econômica. Além do mais, se você for depender exclusivamente e tão somente do que a televisão, a família, a escola, a faculdade, os amigos, te dão, por mais essencial que tudo isso possa ser, você está ferrado. Precisa caminhar na solidão e encontrar pegadas por si mesmo diante da ilha deserta que é o mundo. Mas isso é um luxo no mundo de hoje, onde as pessoas precisam de grana e os incentivos são mínimos e às vezes nulos. Meu diferencial é que tive, na ruptura da infância para a adolescência, a oportunidade de me trancar e ler muitos e muitos livros. Nunca fui rico, mas pude fazer isso. Ainda hoje, tenho mais tempo de ócio do que a maior parte das pessoas. Isso é raríssimo, porque vivemos num sistema que não permite que aflore toda uma geração de pessoas preocupadas em exercer sua potência e realizar sua vocação. Ainda hoje, o imperativo é a subserviência, a luta por sobrevivência, e o se ajustar em modelos sociais. Então tudo é feito nas coxas, às pressas, sem consistência, sem estudo e estrutura, porque ninguém tem tempo. É claro que existe sempre uma relação de troca entre indivíduo e sistema, mas quanto dessa relação é positiva, sadia, igualitária? Que merda de mundo. Um dia, as pessoas devem acordar. Esse mundo é nosso, não é de meia dúzia. Sigo debatendo, divulgando e insistindo em Basic Income, em Renda Básica. Este é o futuro da humanidade – uma era de abundância, de extrema criatividade, caso contrário estaremos, como estamos, patinando no mais do mesmo. Admiro quem consegue destoar disso tudo sem fazer concessões, fiel à sua missão pessoal, que sempre é coletiva. Tento ao máximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *