Oswald de Andrade, pai do teatro brasileiro moderno

Ao contrário do que se pensa e se propaga por aí, o “pai do moderno teatro brasileiro”, se é que isso existe, não é Nelson Rodrigues, mas Oswald de Andrade, décadas bem antes, ainda que sua dramaturgia — a primeira realmente moderna no Brasil — só tenha sido resgatada na segunda metade dos anos 60 pelo Teatro Oficina com ‘O Rei da Vela’: é que naqueles anos 20, 30 e 40 ninguém estava realmente preparado para ele, com o agravo de que ninguém o levava a sério e as edições eram sempre parcas… Oswald nunca fez outra coisa senão atacar o provincianismo estético e mental do Brasil: nunca é demais refrescar a memória: a Semana de 22, com todos seus personagens conhecidos, foi seminal porque deu adeus às artes estritamente acadêmicas que se faziam no país. Tem gente que ainda hoje não está preparada para ele; daí a importância da “remontagem” feita pelo Zé Celso e Renato Borghi, que eu ainda não assisti, mas cheia de significados numéricos de idade e de história e de momento atual…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *