Estou chocado e enojado com o nível dos comentários que tenho lido na internet…

Estou chocado e enojado com o nível dos comentários que tenho lido na internet. Se são em vídeos meus no YouTube, eu apago, mas estão em todas as redes.

Foi feita uma lavagem cerebral muito séria em parte significativa da sociedade. São robôs, papagaios, que surpreendentemente vivem no mesmo país que o meu, defendendo a ditadura, dizendo mentiras a respeito dela, pedindo intervenção militar, e sempre citando comunismo, como se estivéssemos ainda na Guerra Fria.

Não adianta citar o Maluf, corrupto símbolo da ditadura, não adianta falar de tortura, assassinato, AI-5, país marginalizado depois de 21 anos de regime militar, alienação, liberdade de expressão, exemplos de Congresso comprado para derrubar Jango, não adianta falar que muitos militares foram presos, cassados, por não aceitarem dar o golpe entreguista, não adianta falar nos valores do diálogo, na importância de voto, plebiscito, referendo, não adianta falar que milico não sabe nada de economia, política, sociedade.

Entro nos perfis e a maioria vai votar nesse estúpido do Bolsonaro, um sujeito que não fez nada por sua cidade, ex-militar irresponsável, deputado indolente e que acha que tem capacidade para governar o Brasil. É um sujeito que já deveria ter sido cassado.

A esquerda precisa repensar suas estratégias, ser mais incisiva e se unir pelo bem geral ao invés de mesquinharias, pois a extrema direita está aí, na bancada BBB do Congresso e no brasileiro médio, sem propostas e ideias para acabar com impunidade e atrasos a não ser truculência e autoritarismo pura e simplesmente. É o neofascismo introjetado. Socorro! O fascismo, posso dizer filosoficamente, é uma linha de morte do outro e de si mesmo, só há morte no seu horizonte burro.

Sei que a inteligência brasileira resiste sempre, o nosso sincretismo, miscegenação, diversidade, e até mesmo a classe letrada lúcida contra a ignorância e o semianalfabetismo cognitivo, mas é preciso algo que nos faça dar a volta por cima enquanto país potente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *