DESABAFO

Não sei bem por quais motivos, o Brasil tem uma raiz fascista, persistindo ainda entre nossa alegria, fantasia, doçura, ternura e potência. Mais de 3 séculos de colonização portuguesa truculenta, fanática, doutrinatória, assassina, corrupta. Uma Independência importante, mas conservadora. Um Império nefasto com sua escravidão, oligarquia e que fez o que fez com negros e com Tiradentes, uma República hegemônica, militar que fez o que fez com Canudos. Vargas. Golpe de 64 e todos seus crimes. Uma polícia militar chovendo no molhado, preparada para a guerra urbana diária e periférica. É muito sangue — e também resiliência de um povo que, paradoxalmente, tem tudo para dar certo e tem bom coração… Governos autocráticos, centralizados, que tendem a desconsiderar recursos democráticos, voto, consulta, referendo, plebiscito, partipação dos cidadãos, setor privado autocrático, centralizado, que tende a desconsiderar recursos democráticos. Estado e Privado em conluios astronômicos mas desleixados, com tendência ao completo abandono do social e do país, onde a regra são os interesse vãos ao invés de projetos nacionais transformadores. Mas, mais do que fatos históricos determinantes, o fascismo está introjetado de forma explícita na própria sociedade brasileira e nos próprios brasileiros cultos e médios, nas nossas famílias, nas nossas instituições, escolas, universidades, trabalhos, nos três poderes, uma sociedade truculenta, ignorante, homofóbica, racista, machista, fundamentalista, intolerante, preconceituosa, provinciana, ELITISTA, excessivamente centralizada e hierarquizada, alienada, reacionária, injusta, violentamente injusta, e hipócrita. Como pode este mesmo país múltiplo, polidiverso, plural, na vanguarda da miscigenação, receptivo, sincrético em todos os níveis e campos e áreas, naturalmente levando oxigênio ao resto do mundo e um colosso de potencialidades e forças criativas, ser também a própria antítese de si mesmo? Parafraseando o heterônimo do meu xará lusitano, eu não sei, e é comigo, é com a gente!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *