A MINHA GRANDE PREOCUPAÇÃO

Seja Lula elegível ou não, culpado ou inocente, o que me espanta mesmo não são os acusadores do Ministério Público ou os juízes, Sergio Moro ou os do TRF-4 — desconfio de toda instituição, se eles servem ao PSDB, à CIA e/ou ao FBI ou se foram comprados e se têm conluio com grupos políticos/empresariais nacionais e internacionais e com a grande mídia (dito por esquerdofrênicos e também por esquerdistas ou livres pensadores lúcidos), se julgam com fragilidade judicial o caso do triplex (dito por vários especialistas), ou se estão corretos, qualquer vantagem, até mesmo a de Lula, é efêmera e nenhum deles a levará para o inevitável caixão –, o que me assusta mesmo são:

1. Seus detratores na internet (não todos, mas a maioria), dum conservadorismo explícito: camuflados atrás da tela, mas eleitores como nós, pessoas reais, de carne e osso, vivendo na nossa mesma sociedade, eleitores como nós, cidadãos como nós, construindo o país como nós: selvagens, provincianos, truculentos, machistas, homofóbicos, preconceituosos, contra o pensamento, contra a arte, contra as emancipações sociais e as liberdades individuais, contra o fim da desigualdade, guiados por ódio ignorante e fascista.

Sei do que falo, porque tenho blog e canal aberto no YouTube, com vídeos meus ou de outras fontes que coloco, não vivo em bolha de partidos, cortes judiciais, nem mesmo apenas em rede social com amigos que concordam sempre comigo; recebo diariamente comentários das pessoas mais diversas de todos os cantos do país, em vídeos do YouTube ou textos no blog.

São pessoas que ganham força agora, na esfera digital e real, e esta é uma grande preocupação, porque não estão dispostas ao diálogo e não querem apenas a cabeça de Lula, defendem também descaradamente o retrocesso em todos os níveis humanos.

Não quero massificar os conceitos, demonizar e dizer que todas elas sejam pessoalmente nefastas, porque não as conheço (embora muitas devam ser de fato); mas a maioria se mostra no mínimo ingênua ou alienada em seus discursos programados e previsíveis.

Em menor quantidade, comentários mais lúcidos e sensatos, que destoam, raros; como dizia Martin Luther King Jr., o silêncio dos bons é que é preocupante…

2. Sua oposição (não o PSOL, que em termos presidenciais é fraquíssimo, tampouco Ciro Gomes), mas o PSDB e a direita e a extrema direita, que também ganham força e desfilam hegemonicamente impunes tanto quanto o Congresso e suas deploráveis bancadas do boi (ruralistas), da bala (indústria da violência) e da bíblia (fundamentalistas evangélicos), junto ao desgoverno ilegítimo, corrupto, psicopático, antidemocrático e sem escrúpulos de Temer…

* Só me resta torcer pelo Brasil, esperar que minha ampla e íntima percepção de Brasil, isto é, país múltiplo, plural, naturalmente diverso e sincrético e miscigenado, se sobreponha a isto tudo em seu presente e futuro…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *