GEOGRAFIA DA SOLIDÃO

Com o mínimo de movimento, como tenho me movimentado! Há uma geo-escrita, uma geo-literatura, uma geo-leitura, uma geo-filosofia, uma geo-arte. Há uma geografia da solidão. Que muitas vezes é mais intensa e mais enriquecedora do que as movimentações externas e aparentes. Há quem viaje muito, ou se movimente muito por fora, mas nada por dentro. Para essa construção que chamamos de Ser, dentro e fora, interno e externo, são ilusões; o estado psíquico e sobretudo a movimentação, fora desta configuração bipolar, é o que valem… É? Apesar da angústia e do meu quase choro?… Apesar da sensação de estar fechado num sonho não sonhado por ninguém?…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *