O radical nacionalista e o radical entreguista: Reagan, Temer, Serra, Bolsonaro, PSDB, etc.

É uma afronta (ou um eufemismo) chamar Bolsonaro, bolsominions, intervencionistas e afins de conservadores. Não só pelo nível intelectual rasteiro e estúpido. São, antes de qualquer coisa, radicais, extremistas: defendem a força militar acima de tudo (mais do que a força humanista, democrática, filosófica, educacional, cultural – daí a estupidez), defendem uma ditadura que institucionalizou o assassinato, a tortura, a prisão arbitrária, a perseguição política, abusos de poder, defendem posicionamentos machistas, homofóbicos e racistas.

Mais do que conservadores, portanto, são explicitamente radicais, extremistas, e devem ser vistos assim. Mais ou menos como Reagan e seus apoiadores, que, conforme diz Chomsky numa de suas entrevistas, não podem ser chamados simplesmente de conservadores, mas de extremistas, pois seu governo apoiou o aparthaid na África do Sul, atrocidades israelis no Líbano e diversos outros conflitos diretos e indiretos com governos vizinhos e além, que mataram milhares de pessoas. “São”, diz Chomsky, “radicais nacionalistas.”

E os bolsonaros e afins? São radicais entreguistas. Embora tenham saído nas ruas com camiseta da seleção, batem continência para a bandeira americana, possuem espírito de vira-lata, são capazes de pedir intervenção do governo americano para este fazer o que bem quiser com os patrimônios e recursos de todo tipo do Brasil, conforme ocorreu em 64, sempre com uma cortina de fumaça, uma mentira para enganar incautos.

Tão danosos quanto – se não forem mais – são os governantes atuais do MDB de Temer e do PSDB de Serra que, mais discretos e mais silenciosos, parecem pôr tudo isto em prática; fazem leilão do pré-sal e desmontes na natureza e na Petrobrás. Até que me provam o contrário, com dados fidedignos, é muito suspeito congelar gastos com saúde e educação (tomara que o próximo presidente revogue esta barbárie) e permitir a exploração dos nossos recursos, como o próprio pré-sal, por empresas estrangeiras…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *