PICASSO E JACQUELINE

Parece que Picasso – já citei ou escrevi algumas vezes sobre ele por aqui – tinha realmente um picasso. Deitava-se nu debaixo do sol, exibindo toda sua virilidade para a bela Jacqueline.

O sexo era uma força motriz de vida e criatividade pra ele.

Acontece que, como ocorre com muitos homens, e não seria diferente com o gênio cubista, Picasso acabou tendo que se submeter a uma cirurgia de próstata. Era comunista, mas foi se tratar nos Estados Unidos com o melhor médico que existia. Voltou para casa com um cotoco, um pedacinho de pau, minúsculo. Impotente, sentindo-se castrado, refletiu o fim de sua virilidade na obra tardia, considerada por alguns como as fantasias de um velho tarado. Ficou deprimido.

Mesmo assim, Jacqueline não deixou de amá-lo.

Prova disso é que, depois que ele morreu, mesmo ela tendo se convertido automaticamente na mulher mais rica do mundo, pois tinha ao seu redor todos os quadros do marido – incluindo os mais de 400 retratos que ele havia feito dela -, mesmo tendo tudo o que uma mulher sempre quis, algo lhe faltava, e ela se suicidou alguns anos depois com um tiro na cabeça em seu Castelo em Notre-Dame-de-Vie…

PICASSO Jacqueline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *