DEPOIS DE STÁLIN E BIN LADEN, KIM JONG-UN…

No mundo de hoje, Kim Jong-un, depois do Stálin e depois do bin Laden, é provavelmente o único que pode subverter o poema do Drummond
– “porque não podes sozinho dinamitar a ilha de Manhattan” – e, assim, desvirtuar completamente o Capitalismo ou até exterminar de vez o imperalismo americano. Nenhum poderio é eterno; vejam Roma, tão imponente, terminou de forma patética. Um dia vão acabar com eles ou eles mesmo se acabam sozinhos. E, ao contrário do que se possa pensar e do que eles próprios vendem, os americanos não são tão bons em guerras ou confrontos e lutas, sempre dão vexames (lembremos do Vietnã); eles são bons em conspirar, comprar e barganhar, isso sim, sempre fizeram, inclusive aqui, no resto da América Latina e mundo afora, suspeitamente contra o comunismo, ontem, e agora contra ditaduras e o terrorismo, quando todos sabemos dos interesses por expansão, domínio, petróleo. Mas longe de mim simpatizar com ditaduras, pseudodemocracias, psicopatas, mimados, de nenhum lado, fantasmas, esboços de humanidade tristes e retrógrados que não representam a maioria da população de seus países nem a mundial. Fora, todos eles! Minha preocupação é o futuro. Dos escombros da barbárie pode surgir finalmente um germe de sentido comunitário global, sofisticação anarquista. Pena que os homens só aprendem – aprendem mesmo? – pela dor, depois de fazerem merda…

Comments

  • O pior é que o presidente americano também não tem juízo de uma galinha (como se diz no interior).É rezar e torcer pro pior não acontecer.

    Ademar Amancio 15 de agosto de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *