Gostam de dizer que Nietzsche já estava completamente louco quando escreveu “por que escrevo livros tão bons”, mas…

gostam de dizer
que Nietzsche já estava
completamente louco
quando escreveu os capítulos
“Por que sou tão sábio”,
“Por que sou tão inteligente”,
“Por que escrevo livros tão bons”
e “Por que sou um destino”
em “Ecce Homo”,
mas, para mim, estes tipos de autoconclusões
só podem vir
ou de um idiota vaidoso
que jamais acreditaria
na própria afirmação
(o que não é o caso)
ou de um sujeito
com aguçada e invulgar lucidez
refletindo com segurança
sobre a fímbria,
o limite,
o rumo
sem volta
a que chegou
e chegaríamos (chegamoscheguei?) com ele…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *