PSDB: IMPUNIDADE E BLINDAGEM

É de espantar a capacidade que o PSDB tem de impunidade e blindagem. No mesmo dia da condenação de Lula no TRF4, por exemplo, a Procuradora Geral arquivava uma investigação de crime de José Serra, por ter prescrito.

A conta bancária do ilegítimo Temer é aberta, Cunha (ao que tudo indica) é preso, Maluf também, há uma pressa judiciária absurda contra Lula, mas nada ocorre contra o PSDB. Por quê? Seus figurões fazem parte de uma elite tão poderosa assim?

Brasileiros mais informados sabem do conluio do PSDB com o judiciário. O próprio “herói” Moro é fotografado frequentemente em convenções e reuniões tucanas. Juíz federal! Além disso, o Procurador de FHC engavetava qualquer investigação que pudesse prejudicá-lo, numa espécie de camaradagem obscena.

Brasileiros mais informados também sabem do conluio entre tucanos e a grande mídia televisiva e impressa. Ela sempre omitiu ou atenuou as informações a respeito dos crimes do PSDB.

Ele sempre foi vendido para a opinião pública como um partido limpo, íntegro, sério, competente.

O PSDB é formado, na verdade, por uma elite tecnocrata que nunca foi suficientemente competente para atender às urgências sociais, urbanas e educacionais do estado e das cidades de São Paulo. São sucessivos maus governantes, antes do PSDB e depois com ele, e maus governantes corruptos.

Prova disto é que o PSDB está há anos dirigindo São Paulo. Mesmo antes de efetivamente chegar ao governo de estado e prefeituras. Basta lembrar que é o mesmo grupo que começa com Montoro. Serra era secretário de planejamento de Quércia. O vice-governador de Fleury já era Aluysio Nunes, cuja cara dá embrulhos no estômago a muita gente lúcida. Isto é, uma hegemonia de mais ou menos 30 anos, sem resultados de políticas públicas realmente grandiosas e transformadoras.

Mais do que isto, uma elite política corrupta. Houve um mensalão petista, pelos “novos ricos” do PT que achavam que, se roubassem como seus rivais, nada aconteceria; aconteceu aos “novos ricos”, foram investigados, denunciados, alguns condenados, a mídia deu cobertura 24 horas por dia esses anos todos, mas os ricos de berço do PSDB e seus mensalões seguiram impunes.

Ninguém me tira da cabeça o quanto de milhões ou bilhões o governo Alckmin não deve ter tirado por trás das obras atrasadas do metrô. Que eu saiba, não há nenhum órgão independente para vigiar estas obras de anos, envolvendo muito dinheiro entre setor público e empresariado. Sem contar o caso da merenda e, para ser mais ideológico, o uso frequente e fascista da sua polícia militar.

O caso Aécio é indecente e alarga a atitude tucana para além de São Paulo, atingindo Minas Gerais. Há gravações de Romero Jucá, outro bandido, escancarando a ponta do iceberg de sua corrupção; há gravações do próprio Aécio.

Há casos de abuso também no PSDB do Paraná.

Doria engana incautos com o discurso do “novo na política”, porque de novo não tem nada: sempre foi rentista e lobista, sempre estreitou relações entre setores privados, empresários, capitalistas e a classe política, sempre esteve no centro da relação muitas vezes suspeita, incestuosa, promíscua entre as duas áreas. Foi, além de tudo, presidente da Embratur no governo Sarney, no final da década de 80, demitido, condenado por “impropriedades de várias ordens”, segundo inspetores do TCU, mas saiu impune, engavetaram, conforme pode ser facilmente pesquisado na Internet.

Citei o FHC, o “grão mestre” tucano, sempre com ar professoral. Creio que há diversos casos da sua presidência encobertos, além daqueles que sabemos: as corrupções da Petrobrás (que Paulo Francis denunciou), a compra da reeleição – outro dia, inclusive, vi na HBO um documentário onde ele, ele mesmo, “ensinava” sobre os “desinventores do Brasil”, aqueles que governaram pelos próprios interesses, como Jânio Quadros e outros : gozado, sobre o próprio FHC, que comprou a própria reeleição, não há nada…

Eis a prova do quanto o judiciário brasileiro no seu todo ainda é seletivo, injusto, suspeito: o que serve para uns, estranhamente não serve para outros… Boa parte da elite paulista está sendo julgada em tribunais da Suíça e da França.

Tudo isto, repito, é só a ponta do iceberg e só citei alguns nomes e casos, os mais flagrantes. Fala-se também em Banestado, Trensalão Tucano, Privataria Tucana, Vampiros da Saúde e outros, destinados a pesquisas alternativas, já que grande mídia e judiciário não colocam uma lupa para investigar mais fundo.

A impunidade e a blindagem dos crimes do PSDB continuam me espantando e deveriam espantar a todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *