Erros de Dilma e do PT e as soluções futuras

O impeachment, ou o golpe, já é quase uma certeza. Portanto, ao invés do costumeiro maniqueísmo, acho que seja necessário incentivar reflexão e amadurecimento.

Grande erro de Dilma: Ter traído justamente quem a elegeu. Subestimar o poder social. Se afastar dos movimentos sociais e só pedir socorro a eles, com mentiras e oportunismos, quando o barco estava afundando. Alianças sujas desnecessárias para quem tem (ou tinha) tamanha popularidade. Poderia falar também da diminuição de verbas para programas importantes e dos desastres econômicos, mas sou um zero a esquerda nesse quesito.
Erro de quem a elegeu (falando das gerações mais novas, e não dos veteranos que já sacam das coisas): Um problema ideológico, quando, na realidade dos fatos, se trata de um partido como todos os outros. Acreditar piamente no discurso e estratégia de Dilma e do PT.

Estratégia do PT e de Dilma: Se fazer de vítima. Instaurar o medo de que vão acabar com isso, acabar com aquilo (já escrevi noutro artigo que o Bolsa Família precisa virar – URGENTEMENTE – programa de Estado, pra evitar que usem o pobre como massa de manobra eleitoral). Dilma, que nunca ligou verdadeiramente pra artistas e movimentos sociais, se volta a eles justamente quando o barco estava afundando. Oportunismo. Política do medo e do vitimismo. Falsidade. Não fossem esses movimentos o que seria do PT?! No auge do poder, os petistas se esqueceram disso. Talvez só Lula não tenha esquecido e isso é grave, porque ele não é eterno nem perfeito.
Erro dos movimentos sociais e dos artistas (mais novos e mais velhos também): Não enxergar isso. Achar que o PT é cem por cento de esquerda. Achar que o PT ainda é puro.

Única desculpa para eles: Parece não haver muitas escolhas. Não há uma cabeça inovadora na oposição. A agenda da oposição não é das melhores, parece ser prejudicial.
Aí vem a grande verdade: Mas o governo Dilma também não foi?!

Grande erro do PT: Não ter autocrítica. Partidarismo barato. Perder o grande legado de Lula, que foi o diálogo com a sociedade e a intuição. Falta de qualquer moral: usar a grande força social que elegeu esse partido corrompido como mera massa de manobra e, assim, fazer campanhas de marketing do mais baixo gosto.
Possível solução: Será possível fortalecer o PT depois disso tudo? O partido ficou suspeito. É preciso fortalecer o PSOL (ainda que Luciana Genro seja fraquíssima) e a Rede (apesar da também fraquíssima e misteriosíssima Marina Silva). Mas, não necessariamente falando da Presidência, são partidos com gente íntegra (grande parte saiu do PT) e que precisa ser fortalecida: Erundina, Ivan Valente, Freixo, Alessandro Molon, etc…

Outra solução a longo prazo: Mais democracia. Mais jovens na política. Mais negros. Mais LGBTs. Mais mulheres. Mais, muito mais. Tem que tirar esses dinossauros, esses tiozinhos infelizes. Olho para a Câmara dos Deputados e vejo o Beto Mansur (da minha cidade, e que foi acusado de escravidão anos atrás) e sinto verdadeiro asco. Sinto asco da bancada BBB. Arregaçar as mangas, como aqueles jovens espanhóis que não se contentaram com as ruas e fundaram o Podemos! Pensei em me candidatar, mas fujo de papéis sociais e ser político estrito senso é assumir um papel social, é perder parte da liberdade individual, é não poder dizer aquilo que os poetas e artistas podem: eu minto, eu não valho nada, “eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil”… Mas, quem sabe? Nem todos os Fernandos foram bons políticos; houve um Fernando da Espanha que virou santo, São Fernando. Aqui no Brasil, dois deles dispensam apresentações e o único do qual sinto simpatia é o Haddad.

Escrito em 06/05/2016

Comments

  • Concordo muito. Um dos grandes erros do PT foi a escolha de Dilma para a sucessão de Lula.
    Dilma é mulher de luta, guerreira, mas não sabe fazer política nem tampouco é carismática. A cultura foi esquecida, o que me deixa triste. O genocídio indígena continua, o que me deixa triste. Pautas progressistas foram travadas pelo conservadorismo, o que me deixa triste.
    Reforma política? Cade? Pra quem?
    E sobretudo, acho que dividir esquerda e direita é uma grande ingenuidade. O PT entrou no esquema há 13 anos e todos sabemos disso. E agora deu no que deu. Aquele ditado: Está colhendo o que plantou.
    Estamos vivendo em tempos macabros, já não votava na Dilma pra última eleição (mas me deu um alívio quando ela derrotou o tucano)
    Agora temos que engolir um golpe esquizofrênico, que ao meu ver já está consumado. Mais de 50 milhões de votos jogados no lixo, a democracia sangrando a cada dia, é desesperador.
    A esperança está nesses partidos que tão bem nos representaram na votação da câmara. E quanto a Dilma, infelizmente tenho poucas esperanças. Apesar de ser contra seu governo sou a favor de seu mandato legitimo.
    Golpistas não passarão, eles próprios vão se afundar em lama e desonra, aguardemos…
    #ficaquerida

    Rapha Hubner 6 de maio de 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *