OPINIÃO: A tática dos golpes é sempre a mesma, seja em 64 ou em 2016

A tática é sempre a mesma. Incendiar o país para depois todos dizerem ufa! Mas o artista JAMAIS vai dizer ufa; ele vai sondar as sombras do seu tempo, perturbar, ele não aceita ser receptor do presente, ele é criador do presente, ele veio trazer a espada e não a paz.

Em 64, acabaram com a reputação de Jango. Os Estados Unidos pós-Kennedy pintaram e bordaram aqui dentro. Trouxeram até o padre Patrick Peyton pra vir rezar na TV e reservar uns minutinhos para sentar o pau no Jango e instalar o medo do comunismo no Brasil. Foi daí que surgiu a pérfida Marcha com Deus e o golpe nefasto. Atitude das mais sujas, assim como hoje em dia é suja a atitude desses pastores evangélicos que se apoderam do poder em benefício próprio.

Uma parcela da população, perturbada diariamente por notícias seletivas da “grande” mídia, vai às ruas. Como dizia Gramsci, jornais nada mais são do que interesses de meia dúzia. (Falar em comunismo em pleno século XXI, sendo que os programas sociais do PT na realidade inseriram milhões no mercado capitalista, é absurdo, cegueira, desvio mental grave.) Os políticos comprados e os que ainda não foram comprados não enxergam outra escolha. A economia vai mal, a extrema direita surge – no mundo inteiro a regra matemática é essa. A esquerda ou se corrompe ou briga entre si e só acaba atrapalhando mais ainda. Muitas pressões.

Com o golpe findo, entra-se numa era de “ufa!” coletivo. Na realidade, não é um momento de paz, é de alienação e obscurantismo, porque não é o brasileiro que está ganhando com tudo isso, são os oligarcas de sempre, são os altos grupos financeiros, é a elite corrupta que há mais de 500 anos toma conta dessa terra de maneira arbitrária e sem eleições…

Muito bem. Com tantas marcas e tantas cicatrizes, a resiliência do jovem Brasil avança.

Comments

  • As corporações financeiras comandam direta e indiretamente,financiando campanhas de seus candidatos – vide o caso-João-Dória.

    Ademar Amancio 13 de outubro de 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *