György Ligeti e sua Musica Ricercata: uma faca no coração de Stálin

Essa música, que o Kubrick depois usou em seu último filme, foi composta em 1950 por György Ligeti quando ele estava na Hungria stalinista, onde essa estética não era permitida. Anos mais tarde, ele contou que a compôs COMO SE FOSSE UMA FACA NO CORAÇÃO DE STÁLIN. Pois bem. Pois eu sugiro que essa seja a atitude do artista brasileiro a partir de agora. Sondar as sombras do seu tempo. Perturbar. Não se contentar com o “ufa!” coletivo, não se contentar com vitórias nem derrotas. Um momento de iconoclastia total. Dar um grande murro, uma imensa facada, uma brutalidade que acorde e leve à iluminação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *