O fim do capitalismo não significa necessariamente o fim do mercado…

Capitalismo não é só mercado, como os “capitalistas” sem capital que o defendem erroneamente acham. Na biografia intelectual do grande marxista heterodoxo Gramsci, escrita por Domenico Losurdo, há uma página onde ele deixa claro que o fim do capitalismo não significa necessariamente o fim do mercado. Os esquerdistas estão corretos quando argumentam que o capitalismo nasce com a Revolução Industrial, é um modelo global injusto e instável, uma ideologia nefasta, insatisfatória, predatória, em todos os níveis: ambientais, éticos, democráticos. Capitalismo é muito mais o conjunto de grandes organizações financeiras internacionais que ditam e dominam as decisões primordiais da humanidade — numa esfera acima da política dos partidos, frequentemente barganhando com o Estado em propinas e corrupções — do que a livre iniciativa de cada pessoa. Não tem absolutamente nada que ver com o comércio dos povos antigos ou da época dos Descobrimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *